segunda-feira, 11 de outubro de 2010

iCarly fanfic 5 2ª temporada

Dedicado a mãe de Jen - que toda doença converta-se em saúde e toda tristeza converta-se em alegria.

©DIREITOS DE “iCARLY” E “DRAKE & JOSH” RESERVADOS A DAN

SCHNEIDER E A NICKELODEON

***DR@KE & JOSH NO iC@RLY***

@P@RT@MENTO DE C@RLY

Sam entrou no apartamento. Freddie estava ao computador no balcão. Carly estava ao telefone.

– Tô morrendo de saudades – disse Carly a Griffin do outro lado da linha. – ...Ok, tchau. Te amo... – e desligou.

– Ainda não consertaram isso? – perguntou Sam, apontando para o buraco na parede.

– Estamos sem dinheiro – disse Carly. – Vocês deveriam pagar.

– Ahm, ia esquecendo – Freddie pegou a carteira no bolso, tirou um cheque e deu a Carly. – Desculpa pela parede e por demorar com o dinheiro.

Sam pegou o cheque da mão de Carly. – Uau. Se sua mãe quiser pagar pelo conserto da minha casa vou providenciar um canhão.

– Muito engraçado, Puckett – disse Freddie, sarcástico. – Minha mãe tá doida pra encontrar com você.

– Tô morrendo de medo – disse Sam, irônica.

A campanhia tocou. Carly foi atender. – Ah, oi, Wendy.

– Oi, Carly. – Ela entrou no apartamento e caminhou até Freddie. – Oi, amorzinho. – Os dois beijaram-se. Sam foi até a geladeira e pegou um potinho de pudim de chocolate e abriu.

– Espera um minuto, fadinha – disse Freddie. – Só tenho que conferir os e-mails.

– “Fadinha”? – perguntou Sam. – Acho que vou vomitar.

– É em homenagem a “Peter Pan” – disse Wendy.

– Mas a fadinha não é a “Sininho”? – perguntou Sam. – “Wendy” é a garota.

– Tá com dor de cotovelo, né, Sam? – perguntou Wendy.

– Não, tô com dor de barriga de tanto ri – e jogou o pudim em Wendy.

– Ah, vai manchar minha blusa nova – disse Wendy.

– Sam! – disse Carly.

– Vai até lá em casa e pede a minha mãe pra lavar – disse Freddie.

– Eu vou pra casa – disse Wendy. – Tchau – e saiu.

– Tchau – disse Sam. Freddie fechou a cara para ela.

– Olha só. Drake respondeu meu e-mail – disse o garoto. – Ele virá a Seattle e pode fazer uma participação no iCarly.

– Drake? – perguntou Sam. – Aquele Drake?

– É – disse Freddie. Sam e Carly gritaram e pularam juntas. Sam abraçou Freddie. Ela afastou-se bruscamente.

– Ah, legal – disse Carly, para quebrar o constrangimento. – Vamos preparar tudo.

DI@ SEGUINTE

Carly entrou no apartamento. Um pedreiro estava consertando a parede.

– Termina até amanhã? – ela perguntou.

– Vou tentar – respondeu o homem.

– Por que a pressa? – perguntou Spencer, na cozinha.

– Teremos uma participação especial no iCarly – disse Carly, colocando a mochila sobre o balcão e sentando-se. – Cadê o Johnny? – perguntou, sobressaltada.

– Não sei – respondeu Spencer.

– Você deixou ele subir? – perguntou ela, levantando-se. – O Boo tá no estúdio. – Ela subiu correndo. Spencer foi atrás dela. Quando chegaram ao estúdio, o aquário estava espatifado no chão e o gato enroscado num pufe. – Ah, meu Deus – disse Carly, desesperada. – Johnny comeu o Boo. A Sam vai me odiar. Ela deixou o Boo aqui por causa do Fofucho.

– Desculpa, Carly – disse Spencer. – Esqueci de fechar a porta depois de limpar. – Carly desceu correndo. Saiu do apartamento e bateu no apartamento de Freddie.

– Oi – disse ele, abrindo a porta.

– O gato comeu o peixinho da Sam.

– Ah, meu Deus – disse Freddie.

ESTÚDIO DO iC@RLY

– Será que ela vai perceber? – perguntou Carly, enquanto ela e Freddie observavam o peixinho vermelho no aquário.

– Espero que não – disse Freddie. – Deveríamos contar pra ela.

– Amanhã, depois do programa. Ela não vem aqui hoje. Hoje vai ter uma festa na casa da amiga da sra. Puckett.

– Oi, pessoal – disse Sam, entrando no estúdio.

– SAM – gritou Carly.

– Oi.

Carly e Freddie ficaram na frente do aquário. – O que tá fazendo aqui? – perguntou Carly.

– Ah, a festa tava uma chatice. O que vocês fizeram?

– Quem? Nós? Nada.

– Tão com cara de “fizemos algo muito errado”. Vocês são tão ruins pra mentir quanto eu sou boa mentirosa.

– Não fizemos nada de errado – disse Freddie.

– Errado, Benson. Essa frase é quase uma confissão.

– Tenho uma coisa ruim pra contar – começou Carly. – O Boo...ele...

– O que foi? – perguntou Sam, preocupada. – Não vai me dizer que... o seu gato...

– Ah, Sam, eu sinto muito – disse Carly, enquanto Freddie aproximava-se de Sam e a abraçava.

– Ei, o que é isso? – perguntou Wendy, na porta do estúdio.

– A culpa é sua, Benson – disse Sam, afastando-o.

– Por que tava abraçando a Sam? – perguntou Wendy.

– Minha? – perguntou Freddie a Sam.

– Se não tivesse me provocado, não teria jogado o banco na parede, o gato não teria saido e o Boo estaria aqui!

– Eu deveria ter trancado o estúdio – disse Carly.

– Freddie, eu tô aqui e quero saber...

– Eu vi que você chegou – disse Freddie a Wendy. – Estou com um problema aqui.

– Ótimo – disse ela. – Tchau – e virou-se para sair, mas parou.

– Ahn... oi – disse Drake, parado na porta, acompanhado por Josh.

– Ah, oi, Drake – disse Carly, apertando a mão dele. – Mas o programa é amanhã.

– Queria conhecer o estúdio antes. Algum problema?

– Não – disse Carly. – Pode entrar. Esses são Sam e Freddie.

– Oi – ele apertou a mão de Freddie e depois a de Sam. – Você é realmente engraçada, Sam, e bonita. O programa de vocês é hilário. Ah, esse é meu irmão, Josh.

– Oi – disse Josh. – Você parece alguém que eu conheço – disse ele a Carly. – Só não consigo lembrar quem.

Wendy aproximou-se de Drake e beijou-o. Depois saiu. Freddie foi atrás dela, aborrecido.

– Algum problema? – perguntou Drake, confuso.

– Esquece – disse Sam. – Dois idiotas.

– Sam, eu sinto muito pelo Boo – disse Carly, estendendo-lhe o novo aquário. – Não é para substituir; só um novo amigo.

– Obrigada, Carly – disse Sam, pegando o aquário.

– Você perdeu seu peixinho? – perguntou Josh, com lágrimas nos olhos.

– O Josh é bem sensível – disse Drake.

– Desculpa – Josh enxugou as lágrimas

– Infelizmente minha banda não pôde vim – disse Drake. – Freddie já tinha me mandado vários e-mails convidando. Meu pai vinha para uma reunião de metereologistas, então decidimos vim com ele.

– Legal – disse Carly.

M@IS T@RDE

Carly, Sam, Drake e Josh desceram de elevador até a recepção.

– Então a gente se vê amnhã – disse Drake.

– Você também pode aparecer no programa, se quiser – disse Carly a Josh.

– Sério? Demais!

– Será que aceitaria sair comigo? – perguntou Drake, baixinho, a Carly.

– Tipo um encontro?

– Acho que é seu dia de sorte.

– Não, obrigada. Eu tenho namorado e não acho legal. A Sam adoraria sair com você.

– Acho que ela tá muitoo bem com o Josh. – Carly olhou para os dois. Eles estavam rindo de alguma coisa.

– Ótimo. Ela tava tão mal por causa do Boo – Carly olhou para Drake, que estava com uma cara de decpcionado. – Mas podemos ir todos ao Shake da Hora, amnhã, depois do iCarly.

– Legal! – disse Drake, rindo. – Vamos, Josh.

– Até mais – disse Sam. Os dois saíram.

– É, o Josh é legal – disse Sam. – Mas tem a cabeça maior que o normal.

– É – disse Carly. As duas entraram no elevador.

ESTÚDIO DO iC@RLY

– E esse foi o Drake e Josh no iCarly – disse Sam, para câmera.

– Obrigada pela mal-sucedida tentativa de tirar meu gatinho da cartola – disse Carly.

– Vamos treinar mais – disse Drake, sorrindo.

– Mas adoramos sua música – disse Sam.

– Obrigado.

– ...e corta – disse Freddie, desligando a câmera.

– Vamos até o Shake da Hora? – perguntou Carly, pegando seu gatinho e saindo do estúdio. Drake e Josh a seguiram.

– Não vai, Benson? – perguntou Sam, quando o garoto continuou mexendo no computador.

– Não – respondeu ele. – Não quero encontrar a Wendy.

– O que foi? Terminaram?

– É.

– Não perdeu muita coisa. Aguentou muito tempo: quinze dias com ela.

– Ela é insuportável – disse Freddie.

– Vamos. Vai ser legal. Talvez ela nem esteja lá – disse Sam.

– Não, eu...

– Ainda, Benson – Sam puxou-o pelo braço e eles saíram.

NO SH@KE D@ HOR@

– Ih, pessoal, temos que ir – disse Josh, olhando o relógio. – Prometemos ao papai que chegaríamos cedo.

– É mesmo – disse Drake, levantando-se. – O brigado por tudo.

– Nós que agradecemos – disse Carly.

– Ah, Sam, isso é pra você – disse Drake, dando a ela uma foto autografada e um selinho. – Tchau.

– Tchau – disse Sam, sorrindo.

– Tchau – disse Josh e eles saíram.

– Ahn, vamos? – perguntou Carly.

– Vamos – disse Freddie.

– Ah, Benson, valeu por deixar o Boo II ficar na sua casa – disse Sam.

– De nada, Puckett. È o único bicho de estimação que minha mãe deixa entrar lá em casa.

– Além de você?

– Muito engraçado, Puckett – disse Freddie, sarcástico. – Minha mãe disse pra você não ir lá ver o Boo quando ela estiver. Ela tá pirada por você ter tentado me matar.

– “Ela tá pirada”? Sempre foi – disse Sam, enquanto eles saíam da lanchonete.

FIM

Comentem, please!!! :)

3 comentários:

  1. a fic ficou bem legal,só to achando o drake muito serio,eu acho que o drake deveria ta mais drake(irresponsavel,idiota,e menos formal)
    se melhorasse nisso ficaria melhor,mas do jeito que esta ta bom de mais!

    ResponderExcluir
  2. Tá incrivel a fic! Só concordo com o joão... O Drake precisa ser um pouco mais irresponável...

    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir