terça-feira, 14 de dezembro de 2010

iCarly fanfic 9 2ª temporada

Olá, gatinhos e gatinhas! Espero que gostem da nova fic! Comentem! ATENÇÃO: Deixem nos comentários ou no meu Twitter https://twitter.com/sorayasolfreire, perguntas sobre o que vocês quiserem – as mais interessantes, eu responderei e postarei as respostas aqui no blog. Beijos :)

*DIREITOS DE iCarly RESERVADOS A DAN SCHNEIDER E A NICKELODEON

***PROCUR@NDO UM@ SOLUÇÃO***

@P@RT@MENTO DE C@RLY

– Que bom que chegou. Quero falar com você – disse Carly, quando Sam entrou.

– Se for sobre minha nota D em História...

– Você não disse que tirou D. Disse que tirou B.

– Ahn...

– Depois a gente fala sobre isso. Olha só, a audiência do iCarly caiu vinte por cento.

– Quê!? – Sam aproximou-se do balcão para olhar os números na tela do computador.

– Estão reclamando pelo quadro “Zoando com o Lewbert”; querem que a gente coloque outro no lugar. E as meninas querem o Freddie de volta.

– Eu também – disse Sam, baixinho.

– Ahn?

– Não, nada...

– Você tá morrendo de saudades dele, né?

– Claro que não – Sam foi até a geladeira e pegou um refrigerante. – Talvez... – Carly olhou para ela. – Tá bom... Por que ele não chegou ainda? Fez um mês ontem; já era pra ele ter chegado.

– Olá, garotas – disse Spencer, entrando no apartamento, acompanhado por Griffin. O garoto vinha carregado de sacolas.

– O que é isso? – perguntou Carly, quando Griffin desabou no sofá.

– Tintas e telas – respondeu Spencer. – Resolvi pintar.

– E por que fez o Griffin trazer as sacolas?

– Um jeito de castigá-lo por ser seu namorado.

– Spencer! – disse Carly e beijou e abraçou Griffin. – Você já deveria ter se acostumado.

– Nunca vou me acostumar com a ideia de um garoto beijar você.

– Esquece, Carly – disse Griffin.

– Não tem jeito, Spencer – disse Sam. – Estão apaixonados. Não se separam mais; igual espaguete e almôndega, ketchup e maionese, hambúrguer e batata frita.

– Legal – disse Carly. – Estou me sentindo parte de um cardápio.

– Anda logo, sra. Carly Peterson, temos que encontrar uma solução pra audiência do iCarly.

– Não tenho nenhuma ideia – disse Carly, frustrada.

DI@ SEGUINTE

– Eu posso fazer minha mãe e o Lewbert terminarem e ele fica rabugento de novo e retornamos com o “Zoan...

– Sam! – disse Carly.

– Tudo bem, eu tentei.

– Não se preocupem. Vai dar tudo certo – disse Griffin, sentado ao lado de Carly, ao balcão da cozinha. – Vocês vão ter uma ideia prum quadro.

– Olá – disse Freddie, entrando no apartamento.

– Freddie! – disseram Sam e Carly. Sam levantou-se e correu até ele, jogando os braços em volta do pescoço dele. Ele abraçou-a pela cintura, levantando-a do chão.

– Ah, Sam, senti tanta saudade – disse Freddie, ao ouvido de Sam –, que achei que iria morrer.

– Que bom que tá’qui – disse ela. Eles afastaram-se e olharam um para o outro.

– Freddie? – disse Spencer, vindo do quarto.

– E, aí, Spencer.

– Bem-vindo de volta – disse Carly, abraçando Freddie.

– E, aí, Griffin – eles apertaram-se as mãos. – Então, quais as novidades?

– Você que deve ter muita coisa pra contar pra gente – disse Carly.

– É, tenho sim.

NO COLÉGIO

– Sam – chamou Pete, quando a garota e Carly desciam as escadas.

– Ah, oi, Pete.

– Te liguei várias vezes ontem...

– Esqueci meu celular na casa da Carly.

– Esqueceu? – perguntou Carly e Sam olhou para ela. – Ah, foi, esqueceu.

– Sam, você tá me evitando?

– Eu? Não...

– Você saiu da festa correndo e sempre foge quando me aproximo, não atende quando ligo. – Ele segurou a mão dela. – Foi legal namorar com você e, apesar de ter mudado de cidade, nunca te esqueci.

– Foi bom pra mim também, mas...

– Oi, pessoal – disse Freddie. Sam puxou sua mão da de Pete.

– A gente precisa conversar, Pete, mas não aqui – disse Sam.

– Shake da Hora, às quatro?

– Ótimo – disse Sam, sorrindo. Pete saiu.

– O iCarly é amanhã e ainda não temos um novo quadro – disse Carly.

– Vamos conseguir – disse Freddie.

@P@RT@MENTO DE C@RLY

Freddie entrou no apartamento e Spencer estava pintando uma tela.

– O que é isso? – perguntou Freddie. – Três laranjas numa cesta?

– Não, um casal olhando a lua. Ainda não terminei de desenhar.

– As meninas estão aí?

– Carly e Griffin estão no estúdio. Sam não chegou.

– Carly e Griffin estão bem, né?

– É. Eles tiveram um desentendimento quando o Griffin voltou. Ele beijou a Sam...

– O quê!?

– Não foi nada demais, Freddie... – O garoto subiu as escadas.

ESTÚDIO DO iCarly

Freddie entrou no estúdio quando Carly entrou no elevador e a porta fechou-se. Griffin estava em pé, olhando alguma coisa no notebook.

– Que história é essa de você beijar a Sam? – perguntou Freddie.

– Sabe, ela beija bem.

– Seu idiota – disse Freddie e deu um soco em Griffin.

– Qualé, cara? – Griffin colocou a mão sobre a boca. – Foi brincadeira.

A porta do elevador abriu-se e Carly saiu. – Ah, meu Deus – disse ela, aproximando-se de Griffin.

– Você beijou minha namorada. Só devolvi na mesma moeda – disse Griffin, afastando Carly. Ele deu um soco em Freddie.

– Parem com isso – disse Carly, empurrando Griffin para fora do estúdio.

– Chega perto da Sam de novo e eu acabo com você – disse Freddie, com raiva.

– Fique longe da Carly – gritou Griffin. – E já que gosta tanto da Sam, cuida dela ou o ex-namorado dela vai roubar ela de você.

– Griffin – disse Carly –, vamos. – A garota conseguiu fazer com que o garoto saísse do estúdio.

NO SH@KE D@ HOR@

– Você é um cara legal, Pete – disse Sam ao garoto, sentado a sua frente –, mas depois que você se mudou aconteceram algumas coisas e...

– Você namorou com seu amigo Freddie, né?

– É. Tivemos alguns problemas e terminamos, mas ainda gosto dele... Queria ter falado desde o começo, mas não sabia como fazer isso.

– Tudo bem – Pete sorriu. – O importante é que está sendo sincera.

– Fico feliz de você ter entendido. Amigos?

– Amigos – disse Pete. – Acho que alguém quer falar com você – Sam olhou para trás e viu Freddie aproximando-se. – A gente se vê. Tchau.

– Tchau. – Pete saiu. Freddie sentou-se à mesa. – O que aconteceu? – perguntou Sam, ao ver o machucado no rosto dele.

– Eu e o Griffin brigamos por causa de você e da Carly.

– Ele bateu em você? Troglodita!

– Se incomoda? – perguntou Freddie.

– Claro. Só eu posso fazer isso – eles riram.

– Você e o Pete...

– Somos amigos.

– Você beijou o Griffin?

– Ele me beijou – defendeu-se Sam. – Ele queria uma revanche por você e a Carly terem se beijado.

– Se sente vingada também?

– Não correspondi. – O celular de Sam tocou. – Oi, mãe... Não achou?... Tá, tá bom, eu passo na farmácia... tchau. – Ela desligou. – Tenho que ir. Minha mãe tá sem colírio e tá com preguiça de ir à farmácia.

– Vou com você – disse Freddie.

@P@RT@MENTO DE GRIFFIN

Carly chegou ao apartamento de Griffin, quando ele e a mãe também chegavam. O garoto estava vestido de palhaço.

– Griffin? – perguntou Carly.

– Oi, gatinha – disse Griffin.

– Oi, Carly – disse a mãe de Griffin.

– Oi, sogrinha. Por que tá vestido assim? – perguntou Carly.

– Tô fazendo trabalho voluntário num hospital de crianças com câncer... Não imagina como elas ficam felizes quando o Palhaço Purê aparece.

– Ah, meu namorado é tão fofo e generoso – disse Carly e o beijou. – É isso! Vamos colocar o Palhaço Purê no iCarly. É engraçado e ainda incentivamos os fãs a fazer trabalho volntário.

– Legal! – disse Griffin, rindo.

– Ótima ideia – disse a mãe de Griffin, abrindo a porta. – Pudim de chocolate pra comemorar.

ESTÚDIO DO iCarly

– E pra terminar, com vocês, os novos integrantes do iCarly – disse Carly para câmera.

– Purê e Chocolate! – disse Sam, apertando o botão de gritos e palmas do seu controle. Elas afastaram-se e Griffin e Gibby saíram de detrás do cenário, vestidos de palhaço.

– Ooooi – disseram eles.

– Afinal, por que seu nome é Purê? Por que sua cabeça parece uma batata e sua cara é amassada?

– Não, é porque sou gostoso.

– Você se acha, né?

– Não “se” acho.

– É “não me acho”. Não estuda gramática?

– Não sabia que no Ártico tinha grama.

– É gramática e não grama ártica, imbecil.

– Por que a grama ártica é imbecil?

– Ah, eu desisto – “Chocolate” saiu.

– Ei, me espera – disse “Purê”, saindo também. Tropeçou no degrau e caiu. Levantou-se e saiu.

– E esse foi o iCarly – disse Carly.

– Até semana que vem – disse Sam. Freddie desligou a câmera.

– Ótimo trabalho, meninas – disse ele, olhando a tela do computador. – E... recuperamos a audiência.

– Yeah – disseram Sam e Carly, rindo e abraçaram-se.

– Tchau, pessoal – disse Gibby, sem a fantasia. – A Tasha tá me esperado. Hoje é nosso aniversário de namoro.

– Parabéns! – disse Sam.

– Valeu – ele saiu.

– Griffin – chamou Carly –, você tá me enrolando?

– Não – disse Griffin, nem um pouco feliz, saindo de detrás do cenário.

– Então anda logo.

– Hum... Freddie, desculpa pelo soco e por beijar a Sam... É que sou louco pela Carly e fiquei com muito ciúme quando soube que vocês tinham se beijado...

– Que não foi um beijo de verdade – disse Carly.

– Também te devo desculpas – disse Freddie a Griffin. – É que quando a gente gosta de uma garota – ele olhou para Sam –, não suporta a ideia de outro beijar ela.

– Eu vou comer alguma coisa. Tô com fome – disse Sam e saiu do estúdio. Os outros a seguiram.

S@L@ DO @P@RT@MENTO

Spencer estava sentado ao balcão, comendo um sanduíche. Sua tela estava no suporte, perto da mesa.

– O que é isso? – perguntou Sam. – Três laranjas numa cesta?

– Não – disse Spencer. – Um casal olhando a lua. Ainda não terminei de desenhar.

– Ok, desculpa. – Ela foi até a geladeira e pegou um pudim de chacolate.

– Tudo certo com o iCarly? – perguntou Spencer, quando Carly, Griffin e Freddie chegaram à cozinha.

– Tudo – disse Carly, sorrindo.

– Cadê a Verônica? – perguntou Sam, comendo o pudim.

– Viajou – respondeu Carly. – Por que acha que o Spencer tá tão mal-humorado?

– Não tô mal-humorado – disse Spencer, levantando-se e indo para o quarto.

– É, nem um pouco – disse Carly e eles riram. – Alguém quer ir ao Shake da Hora?

– Legal.

– Vamos nessa. – Os quatro saíram e fecharam a porta.

FIM

Trechos da fanfic especial de Natal, “iAm your Angel”:

– Cala a boca, Puckett – disse ele, andando até ela.

– Não me mande calar a boca, Benson. – Ela deu um tapa nele.

– Carly – chamou Freddie.

– O que eu disse, Sam? – perguntou Carly, colocando-se entre os dois. – Natal é época de paz, amor e felicidade. Você não pode bater no Freddie.

– Então, depois do Natal eu posso.

– Não – disseram Carly e Freddie. – Ano Novo! Época de união e fraternidade – completou Carly.

– Vai ver o que vai acontecer no dia 2 de janeiro – ameaçou Sam.

(...)

– Ahn, Spencer, por que você trouxe um peru vivo? – perguntou Carly, observando o bicho.

– Era mais barato. Você comprava o pinheiro e com mais dez doláres levava o peru.

– E quem vai matar ele? – perguntou ela.

– Eu, claro – disse ele.

– E você já fez isso antes? – perguntou Sam, desconfiada.

– Não.


5 comentários:

  1. oi soraya sou eu samya! faz tempo que eu nao comento!!!! mais a segunda temporada ta otima!e eu to muito curiosa com a fan fic de natal quando sai???????/
    bjssssssssss!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Amei a fic!
    A especial de Natal tá chegando *-* Acredite, você já conseguiu me matar de curiosidade!!!

    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
  3. a fic ta muito boa,pelo geto a fic de natal vai ser muito boa!

    ResponderExcluir
  4. AHHHH! A fic de Natal saí 25 de dezembro ^^
    Às 16h! Vou tentar ler assim que for postada, mas à essa hora todo o povo daqui de casa tá se arrumando pra o Natal... Familia grande - ou seja, no minimo duas horas pra se arrumar xD

    Bjs
    Mah

    ResponderExcluir
  5. Oiii!Adorei o seu blog!Mas eu quero saber como eu faço para ter um estúdio igual o delas?

    ResponderExcluir