domingo, 13 de fevereiro de 2011

FANFIC "Deu a louca na Nickisney" Episódio 7

Olá, gatinhas e gatinhos (por falar em gatinhos, onde estão J.V. e Gustavo, meus leitores meninos??? Saudade!)! Obrigada, “Swetie”, pelo seu comentário – eu A-M-E-I!!! Vou melhorar! Amo quando as pessoas me dão dicas de como escrever melhor!

Dedico essa fic a todos os fãs da Demi Lovato, em especial, Biazinha @

*ESTA É UMA HISTÓRIA DE FICÇÃO. NOMES USADOS APENAS COMO REFERÊNCIA. FATOS E OPINIÕES SÃO PURAMENTE FICTÍCIAS, SEM INTENÇÃO DE OFENDER AS PESSOAS MENCIONADAS NEM SEUS FÃS.

O amor é parecido com chocolate. Às vezes amargo, às vezes doce. Alguns não conseguem viver sem, outros são alérgico a ele.

EPISÓDIO 7

CHOCOLATE

Jennette e Demi entram na sala de aula e Madisen vai falar com elas.

– Ahn... Jennette, Demi, eu queria... hum... pedir desculpas pelo que aconteceu – diz ela. – Com a Miranda. Eu agi muito mal. E, Jennnette, se o Nath escolheu ficar com você, só desejo que sejam felizes.

– Obrigada – diz Jennette.

– Estou tão feliz – diz Demi, sorrindo – que é melhor não estragar tudo com mais brigas.

– Ótimo – diz Madisen, sorrindo, e sai.

– Feliz? Por que? – pergunta Sterling, aproximando-se, com Nathan e Drew. Nathan abraça Jennette e cochicha algo no ouvido dela. Ela sorri.

– Joe vai vim pra inauguração da Pizzaria amanhã – responde Demi.

– Legal! A pizzaria vai ser reaberta – diz Drew.

– É, legal – diz Sterling, desanimado, sentando-se.

– Bom dia, pessoal – diz a professora de inglês entrando na sala quando o sinal toca.

– Finalmente consegui te achar – diz Leon a Victoria. – Você tá me evitando?

– Eu? Não...

– Depois daquele dia você foge quando me vê... Eu disse algo de errado? Eu só achei que poderia fazer parte do jornal, só isso. Até comentei com a Keke...

– Eu não posso – diz Victoria. – Eu até gosto de escrever, mas não é o meu forte, ok?

– Mas...

– Não insiste, Leon! – ela diz alto. Todos no corredor olham para ela, que ruboriza. – Obrigada pela oferta, mas não quero e não posso. – O sinal toca. – Tenho que ir. – Ela sai.

– Drew – chama Miranda, quando todos encaminham-se para saída. Ele para, junto com um amigo. – Eu queria dizer que eu fui um pouco grossa ontem. Mas acho que não deveria ficar magoado.

– Ah, não – diz ele, sarcástico. – Você me dá um fora daqueles e tá tudo ótimo.

– Não precisa ser sarcástico – diz ela. – Não é pessoal. Só que...

– Não vai me apresentar a gatinha, Drew? – pergunta o garoto. Drew olha para ele, desconfiado.

– Ei, fique...

– Nate Wolf – o garoto estende a mão.

– Vocês estão na mesma classe – diz Drew.

– Sério? Como não percebi isso antes? – ele beija a mão de Miranda.

– Você por acaso é parente da dona das Lojas “Sea’s Wolf” de moda praia? – pergunta Miranda.

– É minha mãe – diz Nate.

– Tá brincando! Eu sou fã dela! Soube que ela mudou pra cá há algum tempo.

– É, ela nasceu aqui, passou um tempo fora, mas voltou. Ela ama Nickisney; é o paraíso pra ela.

– Mi, vamos? – pergunta Demi, passando.

– Tô indo. A gente se fala, Nate – diz Miranda, sorrindo, e sai.

– Como eu não vi essa gata antes, cara?

– Fica longe dela – diz Drew. – Sei muito bem que fica com uma garota e dispensa ela na primeira oportunidade.

– O que eu posso fazer se todas me querem – diz ele, sorrindo.

– Se você chegar perto da Miranda eu te arrebento a cara – ameaça Drew.

– Ei, calma, cara – diz Nate. – Eu só fico com ela se ela quiser – ele sai.

Drew entra em casa e bate a porta. Quando entra na cozinha vê sua mãe e um homem loiro, de olhos azuis, conversando.

– Drew? – diz sua mãe, preocupada. – Onde estão seus irmãos?

– Nathan e David ficaram no treino, Justin foi à biblioteca e o Sterling tá colocando o carro na garagem.

– Sterling está aqui? – pergunta ela, desesperada. – Você tem que ir embora – diz Mary ao homem.

– Esse é o Drew? Nossa, já é um homem.

– Diferente de você – diz Drew, ríspido.

– Isso é jeito de falar com o pai, garoto?

– Eu não tenho pai.

– Oi – diz Sterling, entrando na cozinha. – De repente começou a chover... Ah, temos visita.

– Sterling, né? – pergunta o homem, sorrindo. – Você lembra muito sua mãe.

– Acho melhor ir antes que a chuva engrosse – diz Mary, empurrando-o para porta.

– Estou na Pousada da rua de atrás – diz ele, saindo.

– Quem é ele? – pergunta Sterling. – Estranho, parece que conheço ele.

– É vendedor; só está passando pela cidade – diz Mary, aflita.

– Vou tomar banho – diz ele. – Hoje não foi um dia legal. – Sterling sai.

– Mãe, chaegou a hora – diz Drew, quando a mãe desaba na cadeira.

Na manhã de sábado, a campanhia dos DeLuise toca e Demi corre para atender.

– Oi – diz Joe, parado na porta. Demi joga-se no pescoço dele e o beija. – Tudo bem, Demi?

– Tudo ótimo – diz ela, sorrindo. – Kevin! Nick! – ela abraça-os.

– Oi, Demi – diz uma moça, caminhando até a porta.

– Ah, essa é Ashley Greene, a nova empresária dos Jonas Brothers – apresenta Joe.

– Muito prazer, Ashley – diz Demi.

– Joe fala muito de você – diz Ashley, sorrindo.

– Entrem – diz Demi. Os quatro entram e ela fecha a porta. – Pessoal, eles chegaram! – ela grita. – Sentem. Então, o primeiro CD sai mês que vem.

– É, sim – diz Nick.

– Isso é tão legal – diz Demi, abraçando Joe. – Meu namorado é uma estrela do rock, agora.

– Oi – dizem as meninas, descendo as escadas. Elas cumprimentam Joe, Nick, Kevin e Ashley, depois que esta é apresentada por Demi. O sr. e a sra. DeLuise aparecem pouco depois.

Sábado, à tarde, os últimos detalhes da reinauguração da Pizzaria e Lanchonete DeLuise estão sendo ajustados.

– Vocês são convidados – diz Demi aos Jonas, enquanto eles montam os instrumentos no pequeno palco da Pizzaria. – Não precisam fazer um show. Só se quiserem.

– Vai ser legal – diz Nick. – Não é como um trabalho.

– Vamos ter pizza como pagamento? – pergunta Kevin. Joe e Nick olham para ele. – Que foi?

– Demi, a gente pode conversar? – pergunta Joe.

– Claro, amor. Vem cá – diz ela e eles vão para cozinha. – Pode falar – diz Demi, sorrindo.

– É que...

– Ah, desculpa – diz o sr. DeLuise, abrindo a porta. – Demi, me ajuda aqui?

– Claro, pai. A gente conversa depois, amor – ela beija Joe. – Te amo e tô muito feliz por estar aqui – ela sai.

Demi desce do quarto já toda arrumada para festa e vai para cozinha. Ela para ao ouvir as vozes de Joe e Ashley.

– Eu vou falar com ela – diz Joe.

– Eu me sinto péssima, sabia? – diz Ashley. – Não quero magoá-la.

- Por que? – pergunta Demi, entrando na cozinha. – O que quer me contar, Joe?

– Eu vou pra Pizzaria – diz Ashley e sai.

– Demi, vem cá – Joe pega na mão dela e eles sentam-se nos bancos, ao balcão. – Eu conheci a Ashley há pouco tempo, mas... Ela é empresária em início de carreira e gostou dos Jonas...

– Eu sei disso. Você me falou.

– Bom, eu disse que talvez não desse certo a gente continuar juntos, já que você mora aqui e eu, em Los Angeles...

– Mas não é tão longe – diz Demi. – Joe, você não...

– Eu vou ser honesto – diz Joe, olhando para ela. – Eu e Ashley nos apaixonamos...

– Você já conhecia ela antes de eu vim pra cá, né? – ela solta sua mão.

– A gente tinha conversado, sim. Mas não aconteceu nada entre a gente. Combinamos que eu deveria te contar a verdade, primeiro.

– Não, Joe – Demi diz, com as lágrimas caindo. – Você disse que ia ligar todos os dias... Você mentiu esse tempo todo?

– Não – diz ele. – Eu realmente gostei de você, mas acabei me apaixonando pela Ash... Aconteceu.

– Por que tá fazendo isso comigo, Joe? – pergunta Demi, levantando-se. – Você só veio aqui pra terminar comigo?

– Desculpa, Demi – ele tenta abraçá-la. – Eu...

– Não me toca – diz ela, afastando-se. – Você... EU TE ODEIO! – ela grita.

– Demi, não faz isso – diz ele, tentando acalmá-la. – Eu não queria te magoar...

– Ah, jura? Você sempre disse que me amava, que a gente ia casar e agora termina comigo porque tá apaixonado por outra! – ela grita. Abre a porta dos fundos e sai correndo, chorando. Na esquina com a Avenida William Shakespeare, um carro buzina e para a milímetros dela. Ela para com o susto, mas volta a descer a Rua Edgar Alan Poe até a praia. Suas botas impedem-na que vá muito longe e ela cai de joelhos na areia. Demi baixa a cabeça, soluçando. Alguém ajoelha-se a seu lado e a abraça.

– Calma; sou eu – diz Sterling, quando ela tenta fugir. – O que houve, linda? – Demi abraça-o e chora até cansar. Ele não diz nada; apenas a abraça.

– Joe terminou comigo – diz ela, afastando-se dele e olhando para mãos.

– Toma – diz Sterling, estendendo um lenço para ela.

– Obrigada – diz ela, pegando o lenço e enxugando as lágrimas. – Desculpa, Sterling, molhei sua blusa toda.

– Isso não importa – diz ele. – O que aconteceu? Você estava tão feliz...

– É. Até descobri que meu namorado, quer dizer, ex-namorado, tá apaixonado por outra – ela diz, com a voz embargada. – A gente era um casal tão lindo. Desde criança a gente dizia que quando crescesse a gente ia namorar e casar.

– Não sei o que dizer, linda. Só que é horrível ver você sofrendo assim – diz Sterling. – Mas, quer saber, ele que perdeu uma garota linda, inteligente, especial, ótima cantora...

– Obrigada, mas isso não vai acabar com a dor que tô sentindo. Sabe, eu tô me sentindo um nada, rejeitada, traída, infeliz.

– O que você mais gosta é chocolate, né? – ele pergunta, depois de um tempo em silêncio.

– Como sabe?

– Você disse lá em casa, no dia da tempestade, quando a gente tava conversando.

– É, eu sou chocólatra.

– Você para de chorar, sorri aquele sorriso lindo, que é só seu e eu te dou um chocolate , com recheio de nozes – diz Sterling, sorrindo. – Feito? Vamos – ele começa a fazer cócegas nela.

– Não... para com isso – diz Demi, deitando na areia. Ela resiste até sorri e depois gargalhar.

– Isso aí – diz ele, sorrindo, debruçado sobre ela, com o rosto a centímetros do de Demi. – Idiota o cara que perde você. – Ela desvia o olhar.

– Eu fiz minha parte – diz ela, sorrindo.

Sterling passa a mão pelos cabelos dela e afasta a franja dos olhos de Demi. Ele aproxima-se. – Não, Sterling, por favor – diz ela. Ele mostra a mão vazia, depois passa a mão pela orelha dela e mostra um bombom em papel vermelho. Ela sorri.

Ele levanta-se, puxa Demi pela mão e entrega o bombom a ela. – Seu cabelo tá cheio de areia – diz ele.

– Isso é bom, né? – ela passa a mão e sacode a cabeça. – O seu também está. – Sterling sacode a cabeça.

– Quer mais chocolate? Agora quente. – Demi balança a cabeça, afirmativamente, comendo o bombom. – Vem. – Sterling passa o braço pelos ombros dela. – Padaria Musso, a melhor de Nickisney. – Eles chegam a calçada e sobem a Avenida Stephenie Meyer.

– Minha maquiagem deve estar toda borrada – Demi diz depois de um tempo. Ela passa o lenço no rosto.

– Você é linda de qualquer jeito – diz Sterling, enquanto viram à esquerda e entram na Rua Doug Funny. – Aqui – ele aponta a fachada. Eles entram e um cheiro delicioso invade suas narinas. Há poucas pessoas no lugar.

– Eu vou ao banheiro lavar o rosto – diz Demi e sai.

– E, aí, Mitchel – diz Sterling para o garoto tímido do outro lado do balcão. – Chocolate quente e buñuelo pra gente.

– Ok – diz o garoto.

Quando Demi volta do banheiro, Sterling está sentado a uma mesa perto da vitrine, com duas canecas de chocolate quente e bolinhos em forma de “S”, polvilhados com açúcar. – Você vai amar isso – diz Sterling a ela. Demi senta-se e pega um bolinho.

– Nossa, muito bom – diz ela, mastigando um pedaço. – Obrigada, Sterling, por tudo...Ah, tenho que avisar meus pais onde estou...

– Não se preocupe. Liguei pro Nathan e pedi pra ele avisar a Jen e seus pais que estamos aqui. Depois você explica tudo.

– Não queria ter que fazer isso.

– Não precisa pensar nisso agora – diz ele, pegando sua caneca. – A você.

– A você – diz Demi, sorrindo.

– Agora podemos ser mais que amigos, né?

– Que apressado – diz ela e joga uma bolinha de guardanapo nele. Os dois riem. Começa a tocar “Take a Bow”, de Rihanna, no som.

http://www.kboing.com.br/glee-cast/1-1026473/

– Quer dançar? – pergunta Sterling, levantando-se, e estende a mão. Demi segura a mão dele e levanta-se. Ela coloca os braços em volta do pescoço dele e ele abraça-a pela cintura.

FIM

5 comentários:

  1. Marcando minha presença como leitora ai vai meu coment's :
    Amei a fic ( como sempre hehehe )
    e quem me conhece sabe que eu nao sou de falar
    que amo e nao amar eu digo tdo oque sinto e eu sinto que amei sua fic e louca pra ler a fic do icarly amanha =)

    Beijoos minah do blog - Juliana B

    ResponderExcluir
  2. Nossa, como eu amei essa! Sério, mesmo o assunto principal sendo Demi e Sterling, você conseguiu colocar todos aí, e ficou demais. tô ansiosa agora.

    ResponderExcluir
  3. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH EU JURO QUE CHOREI NO FINAL! DE TÃO EMOCIONADA QUE FIKEI ! OBRIGADA PELA DEDICAÇÃO FOI MUITO FOFO ! BOM VOU FALAR O QUE EU ACHEI DES DO INDICIO HIH =D
    FIKEI FELIZ PELA JEN E O Nathan ! FIKEI MUITO ANSIOSA QUANDO O JOE TAVA QUERENDO FALAR COM A DEMI ! JUNTO CM A MENINA LAÁ KKKKKK ! AI QUANDO ELA DISSE QUE NÃO QUERIA MAGOAR A DEMI EU SAQUEI A NÃO ACREDITO AI EU COMEÇEI A ROER AS UNHAS E AI DISSE QUE ELES TERMINARAM ! ai quando ela saiu correndo E NA AREIA LÁ CHEGOU O Sterling EU GRITEI E FALEI BEM FEITO JOE !! UHUUU AI EU EMOCIONEI NO FINAL DOS DOIS DANÇANDO ! AHH CHOREI AKE !kkkkKKK

    ResponderExcluir
  4. AHHHH..
    Tiih fofy's Sô!!!
    eu acho q eu nunca flei, mais tbem soh Stermi!!
    Adoro esse casal (sunny entre estrelas eh meu segundo vicio)
    Tah cada vez melhor a sua fic..
    Continuaa!
    Soh para quando acabaa pq aii naum dah pra continua mesmo)
    xD
    Toh Esperando ansiosamente o proximo cap.
    e tbem iSaved Your Life-Seddie Version..
    Kiis***
    Byee*¨*

    ResponderExcluir
  5. oiii migga! como eu tinha prometido estou a ler as tuas fics desde o inicio e estou a adorar! tu és realmente muito talentosa! parabens *-*

    ResponderExcluir