terça-feira, 18 de outubro de 2011

Fanfic "Deu a louca na Nickisney" Episódio 16

Olá, gatinhas e gatinhos!!! Mais um episódio de "Deu a louca na Nickisney" - espero que gostem!! 
Eu escrevi um livro sobre a Demi Lovato chamado "Demi Lovato - Como um arranha-céu Orgulho dos lovatics"(que é mais uma homenagem que uma biografia)e enviei para editora Escala. Quem tiver twitter por favor enviei para @editoraescala "Publiquem o livro da @SorayaFreire_ sobre a Demi Lovato". Eu agradeço pela ajuda!!!

*ESTA É UMA OBRA DE FICÇÃO. NOMES USADOS APENAS COMO REFERÊNCIA, SEM INTENÇÃO DE OFENDER OS ATORES E ATRIZES AQUI CITADOS, NEM SEUS FÃS.

Episódio 16 - TATUAGEM

Miranda levanta-se devagar e vai até o quarto de Jennette, Demi e Miley.
-- O que tá fazendo, garota? -- pergunta Jennette, levantando-se para ampará-la.
-- Eu tô bem -- diz Miranda, sentando-se na cama dela. -- Jen, preciso que você me leve até a casa dos Wolff.
-- Nem pensar -- diz Jennette. -- O médico disse que você tem que ficar de repouso.
-- Oi, divas -- diz Demi, entrando no quarto. -- Mi, não deveria ficar andando por aí.
-- Eu preciso falar com o Natt -- diz Miranda, aflita.
-- Calma -- diz Demi. -- Natt tá na Pizzaria. Vou chamar ele pra você.
Jennette ouve o som da campanhia. -- Deve ser Nathan. A gente vai ao cinema. Fica calma, Miranda. Tchau -- ela pega a bolsa e sai.
-- Fica quieta aí -- diz Demi e sai também.
Miley sai do banheiro toda arrumada e maquiada. -- Oi, Mi. Tô saindo.
-- Papai não te colocou de castigo?
-- Colocou, mas e daí? Tchau -- ela sai.
Miranda levanta-se com cuidado e fica no corredor, esperando Demi. Ela vai até o topo da escada e fica olhando para porta.
-- Mi, o que está fazendo aqui? -- pergunta sua mãe, vindo da cozinha com uma bandeija na mão. -- Trouxe seu jantar.
-- Agora não, mãe. Preciso resolver uns problemas.
-- Problemas?
A porta se abre e Demi entra, acompanhada por Natt Wolff. -- Oi, Miranda -- diz ele, sem graça, quando chegam ao topo da escada. 
-- Vem, mãe -- diz Demi e puxa a mãe. Elas vão para cozinha.
-- Você tá... bem? -- pergunta Natt, sem olhar para ela.
-- Tô. Natt, eu preciso te pedir uma coisa -- diz Miranda. -- Não processa o Drew, por favor. Ele não vai poder pagar indenização e vai ficar fichado.
-- Por que tá tão preocupada com ele? Você não gostava dele. 
-- Eu me enganei. Drew é um cara legal.
-- Ele me bateu e eu não vou deixar por isso mesmo -- diz Natt.
-- Você também bateu nele -- diz Miranda, aborrecida.
-- Você tá apaixonada por ele? -- pergunta Natt.
-- E o que isso importa?
-- Eu não vou tirar o processo -- ele vira-se para descer as escadas.
-- Ok. Eu vou falar com sua mãe e dizer que você fica com as garotas, brinca com os sentimentos delas e depois descarta -- ele vira-se e fuzila-a com os olhos. -- Conhecendo a sra. Wolff, feminista, honesta... ela vai ficar muito decepcionada.
-- Golpe baixo usar minha mãe -- diz Natt, aproximando-se dela. Ela sustenta o olhar, mas ele olha para baixo. -- Ok. Você venceu. Eu vou pedir pro meu pai desistir do processo. É, o Stewart encontrou uma ótima defensora.
Miranda sorri. -- Obrigada, Natt. -- Ele desce as escadas e sai.


Liam está sentado num banco, observando o mar. Miley chega, de fininho, e coloca as mãos sobre os olhos dele. -- Advinha quem é.
-- Miley -- diz ele, tirando as mãos dela, mal-humorado.
-- O que foi? -- pergunta ela, sentando-se ao lado dele.
-- Eu tô numa encrenca por causa daquele beijo, Miley -- diz Liam, sério. -- Eu vou ser despedido.
-- Desculpa, eu não queria que isso acontecesse.
-- A partir de hoje não vamos mais nos falar, a não ser o necessário, na escola.
-- Não, Liam -- diz ela, abraçando-o. -- Eu sou apaixonada por você e sei que também gosta de mim.
-- Não, Miley -- diz ele, afastando-a, segurando as mãos dela. -- Eu não gosto de você -- ele olha-a nos olhos. -- Eu não quero e não posso gostar de você. Isso destruiria minha vida e a sua.
-- Miley -- chama o sr. DeLuise, parado perto deles. -- Eu disse para não sair de casa.
-- Pai, eu... -- começa ela.
-- Já chega, Miley -- diz o sr. DeLuise. -- E o senhor será demitido, se depender de mim. Vamos -- ele segura o braço de Miley.
-- Para, pai -- diz ela, tentando se soltar. O sr. DeLuise segura-a e leva até a casa.

-- Oi, linda -- diz Nathan, abraçando Jennette, no colégio. -- Desculpa por ontem.
-- Ei, para com isso -- diz ela, segurando o rosto dele entre as mãos. -- Não é culpa sua. -- Ele dá um beijo na bochecha dela, abraçando-a pela cintura. -- E o David tá bem?
-- Mamãe passou um sabão nele, hoje. Ele acordou de ressaca, claro. Mas quem tá mal é o Justin.
-- Sel também tá cabisbaixa -- diz Jennette.
-- Ei, Jennette, vai haver o campeonato estadual de patinação desse ano -- diz Leon, aproximando-se. -- Você vai defender a Califórnia, né?
-- Ah, eu tô um tempo sem treinar.
-- Ela vai competir, sim -- diz Nathan. -- E vai vencer -- ele sorri para Jennette. -- Você vai começar a treinar.


-- Oi -- diz Justin, sentando-se ao lado de Selena.
-- Oi -- diz ela, olhando para mesa. Eles ficam quietos. David passa por eles e senta-se numa carteira do fundo.
-- Selena -- chama um garoto lá do fundo e ela vira-se. -- Gastando muito com leite e fraldas? -- A garota ruboriza. Justin olha para o garoto, aborrecido. David e os amigos riem.
-- Idiotas -- diz Justin, passando o braço pelos ombros de Selena, que deita a cabeça no seu ombro. -- Não liga pra eles.


Na hora do almoço as DeLuise estão sentadas à uma mesa com os Stewart, quando a voz de Leon soou nos auto-falantes. -- Bom dia, galera da Escola Secundária de Nickisney! Essa é mais uma transmissão da Rádio Nickisney e a primeira música é dedicada para uma garota muito especial. Tori, minha princesa, essa é pra você. -- Endless Love, de Mariah Carey, começa a tocar. Todos estão olhando para Victoria, que ruboriza.
-- Ei, vocês souberam? -- pergunta Brenda a Madisen e às outras líderes de torcidas, na mesa ao ladp. -- O prof. Liam foi despedido.
-- O quê? Sério? -- perguntam as outras, surpresas. Miley levanta-se e sai.
-- Miley -- chama Demi, indo atrás dela. Demi consegue alcançá-la, no corredor. -- Miley, aonde você vai?
-- Eu preciso falar com o Liam.
-- Nem pensar! -- Demi segura o braço da irmã. -- Papai...
-- Me deixa -- diz Miley, soltando o braço. -- Eu vou e você não vai me impedir. -- Ela sai correndo.
-- O que foi, linda? -- pergunta Sterling, aproximando-se. 
-- Miley foi encontrar Liam. Se papai souber, vai ficar uma fera -- diz Demi, preocupada.
-- Liga pra sua mãe e fala pra ela ir buscar a Miley. O professor mora aqui na rua da escola -- diz ele.
-- Obrigada, amor -- diz Demi, pegando o celular, no bolso.


-- Keke -- chama Madisen, perto da sala de música. -- Você não achou romântico a declaração do Leon pra Victoria?
-- Hum -- fez Keke, indiferente.
-- Ah, o grupo das líderes está precisando de uma integrante. Você não gostaria de participar?
-- Não, obrigada -- ela vai saindo.
-- Eu proponho uma troca. Você entra pro time e eu te ajudo a separar o Leon da Victoria -- diz Madisen e Keke olha para ela, interessada.


Miley sai da Escola e vira à esquerda. Liam está colocando a última caixa no porta-malas., quando ouve a voz de Miley e se vira. Ela joga os braços em torno do pescoço dele. -- Não vai, por favor -- pede Miley, com um nó na garganta.
-- Eu tenho que ir -- diz Liam, afastando-a. -- Nós não temos nada, nunca tivemos e nunca vamos ter...
-- Eu sou apaixonada por você...
-- Não, não é -- diz Liam, firme. -- Não podemos ficar juntos; entende isso, por favor. Isso vai ser ruim pra você e pra mim.
-- Eu vou com você -- diz Miley, sorrindo.
-- Miley -- diz Liam, olhando nos olhos dela. -- Eu não gosto de você. Você está se enganando com essa história de paixão. Eu vou embora e você vai cuidar da sua vida. -- Ele entra no carro e sobe a rua, deixando Miley sem reação, parada na calçada. Um ônibus para na frente do Clube e Miley corre até ele e entra.


-- Onde está Miley? -- pergunta a sra. DeLuise a Demi, quando as garotas chegam em casa.
-- A senhora não encontrou ela? -- pergunta Demi.
-- Não fale nada pro seu pai -- pede Maria.

Quando o sr. DeLuise chega à casa, mais tarde, pergunta por Miley.
-- Ela foi fazer um trabalho, na casa de uma colega -- diz a sra. DeLuise.
-- Ela está de castigo; não poderia sair. Liga pra ela e mande vim para casa assim que terminar. Estou na Pizzaria.-- Ele sai.


-- Mi, visita pra você -- diz Jennette, abrindo a porta.
-- Oi, advogada -- diz Drew, sorrindo, com um ramalhete de rosas e um urso de pelúcia grande, na mão.
-- Obrigada -- diz Miranda, sorrindo, e pegando os presentes.
-- Eu coloco na água pra você -- diz Jennette, pegando o ramalhete e sai.
Miranda abraça o urso, com os olhos fechados. -- Ah, ele é tão fofo! -- Ela olha para Drew. -- O nome dele vai ser Drew.
-- Ah, legal -- diz Drew, sorrindo, sentando-se perto dela. -- Wolff me disse que desistiu do processo e que eu deveria agradecer a você.
-- Eu pedi a ele para desistir do processo.
-- Não deveria ter se aborrecido com isso -- diz ele, aproximando-se dela. -- Acho que nós temos que terminar uma coisa, né? -- Ele pergunta, olhando-a nos olhos.
-- É -- diz ela, colocando os braços ao redor do pescoço dele. Drew abraçou-a pela cintura. -- Uhn -- fez ela, com uma careta.
-- Que foi? -- pergunta ele, preocupado.
-- Você me apertou no lugar da cirurgia.
-- Ah, desculpa, linda -- diz ele, levantando-se. -- Vem -- ele ajuda-a a se levantar. Eles abraçam-se e se beijam.
-- Mas o que é isso? -- pergunta o sr. DeLuise, parado na porta do quarto. Os dois afastam-se.
-- Pai? -- diz Miranda, surpresa.
-- Eu não disse a você para ficar longe da Miranda!?
-- Sr. DeLuise... -- começa Drew.
-- Você é mais velho que ela; Mi é uma criança. Você está sendo processado. Não quero você com ela. Sai da minha casa -- diz o sr. DeLuise, aborrecido.
-- Pai, por favor -- diz Miranda.
-- O que aconteceu? -- pergunta Maria, entrando no quarto.
-- Calma, princesa -- diz Drew, olhando nos olhos de Miranda. -- Você ainda tá se recuperando. A gente se fala depois.
-- Drew -- diz ela, segurando o braço dele. Ele dá um beijo na testa dela e sai.
-- E não volte mais aqui -- diz o sr. DeLuise.
-- David -- repreende Maria. -- Miranda está se recuperando de uma cirurgia. Vai ficar tudo bem, querida -- ela ajuda Miranda a se sentar.
-- Onde está Miley?
-- Eu não sei -- responde a mulher. -- Ela soube que o professor ia embora, foi atrás dele e sumiu. Estou preocupada.
-- Quê? Ligou pro celular dela?
-- Ela não atende.
-- O celular dela não tem GPS? -- ele sai do quarto.
-- Mi, depois nós conversamos sobre o Drew, ok? Precisamos achar a Miley agora -- diz Maria para filha. -- Tá bom?
-- Tá -- diz Miranda, chateada.


-- Los Angeles? -- pergunta o sr. DeLuise, na sala.
-- Nick ligou e disse que eles estão trazendo ela -- diz Demi, sentado ao lado de Sterling, no sofá, com o telefone na mão. -- Ela estava com um grupo, prestes a entrar numa briga, na frente de uma boate.
-- Ai, meu Deus -- diz Maria, preocupada.
Trinta minutos depois, a campanhia toca. Maria vai atender e Miley, Nick e Joe estão parados na porta.. -- Ah, minha filha -- diz ela, abraçando Miley.
-- ONDE É QUE VOCÊ ESTAVA? -- grita o sr. DeLuise. -- FICAMOS PREOCUPADOS COM VOCÊ, GAROTA!
-- EU TAVA TENTANDO VIVER, DIFERENTE DAQUI -- diz Miley, com raiva. -- VOCÊ FEZ LIAM IR EMBORA. VOCÊ SÓ PENSA EM VOCÊ; NÃO TÁ NEM AÍ PRA MIM.
-- Miley, não... -- diz Nick, tentando acalmá-la.
-- Não toca em mim -- diz ela, afastando-se dele. -- Você é um traidor também. Eu odeio todos vocês! -- ela sobe as escadas, correndo. Os pais vão atrás dela.
-- Ah, Nick, desculpa -- diz Demi. -- Miley tá nervosa e aborrecida.
-- Espero que ela fique bem -- diz ele. 
-- Oi, Demi -- diz Joe. -- Tudo bem? -- A garota finge que não ouviu.
-- Amor, eu vou subir -- diz ela a Sterling. -- Você não se importa de ficar aqui, né?
-- Claro que não, meu bem -- diz Sterling, sorrindo. Demi sobe as escadas.
-- Vocês estão namorando? -- pergunta Joe a Sterling.
-- Estamos -- responde Sterlig, ancarando-o.
-- Vamos, Joe -- diz Nick. -- Depois a gente liga pra saber da Miley. Tchau.
-- Tchau -- diz Sterling.  Os dois saem e Sterling fecha a porta.
-- Você tá de castigo -- grita o sr. DeLuise para Miley, no quarto dela.
-- Tá feliz, né, pai? Liam me deixou. Era o que você queria, né?
-- NÃO FALE ASSIM COMIGO, GAROTA! EU ADOTEI VOCÊ E EDUQUEI COM TODO CARINHO PRA VOCÊ AGRADECER ASSIM.
-- EU PREFERIA TER CRESCIDO EM UM ORFANATO -- diz Miley e o sr. DeLuise dá um tapa no rosto dela.
-- David -- diz Maria, abraçando Miley. -- Você não tem o direito de bater nela.
-- Ela me faltou o respeito -- diz o sr. DeLuise. -- Ei, o que é isso? -- pergunta ele, vendo o desenho no pescoço de Miley quando o cabelo afasta-se. -- Você fez uma tatuagem?
-- Fiz -- diz a garota, enfrentando-o. -- Vai me bater por isso também?
-- Deveria -- diz David, levantando a mão.
-- Agora chega! -- grita Maria. -- Você não vai bater na minha filha. Tudo isso é culpa do seu ciúme exagerado pelas meninas. Você nem ligou pro fato de Miranda estar doente e começou a brigar com ela. Você fez o professor ser demetido, David!
-- Maria, você não pode falar assim comigo!
-- Por que? Você está errado -- diz Maria, saindo do quarto e vai para seu quarto. -- Não tinha porque falar com a Miley daquele jeito! -- Demi ouve a mãe gritar, enquanto abraça a irmã.
-- Você quer que eu deixe as garotas fezerem o que quiserem? -- pergunta David.
-- Papai e mamãe esão brigando? -- pergunta Jennette, chegando à porta do quarto, junto com Victoria.
-- Calma, Miley -- diz Demi, abraçando a irmã, que soluça em seu ombro.
-- Está tudo bem? -- pergunta Selena, chegando ao quarto, com Justin.
-- Vai ficar -- diz Demi, com Miley deitada em seu colo.
-- Papai e mamãe nunca gritaram assim -- diz Victoria.
-- Vocês fecharam a Pizzaria? -- pergunta Demi.
-- Fechamos -- diz Selena.

[-- Se não estamos concordamos com as coisas aqui, acho que é hora de parar um pouco para pensar -- diz David, com o tom de voz normal.
-- É -- diz Maria, sentando-se na cama. David sai do quarto, desce as escadas e sai de casa, batendo a porta.]

-- Para de chorar, Miley -- pede Demi, levantando o rosto dela. -- Vai tomar banho e se acalmar, tá? -- Ela coloca a irmã embaixo do chuveiro e abre o mesmo.

[-- Vai ficar tudo bem -- diz Justin a Selena, na porta da sala. Ele dá um beijinho nela. -- Boa noite, linda!
-- Boa noite -- diz ela, abraçando-o e ele sai. Ela fecha a porta.]

-- Demi, eu já vou -- diz Sterling, chegando à porta do quarto, onde Demi está segurando a mão de Miley, sentada na cama desta.
-- Tá bem -- diz Demi, soltando a mão da irmã e levantando-se. -- Obrigada, Sterling.
-- Seus pais vão ficar bem -- diz ele, abraçando-a. -- Seu pai tá na Pizzaria. Ele disse que tá esfriando a cabeça para voltar.
-- Tá -- diz ela, triste.
-- Fica bem -- ele dá um beijo nela e sai.
-- Miley dormiu? -- pergunta Maria, saindo do quarto dela. Demi confirma com a cabeça. A mãe entra no quarto e beija Miley. Ela entra no outro quarto, onde Selena, Victoria, Miranda estão deitadas. Jennette está sentada na cama de Miranda. -- Não se preocupem. Vai ficar tudo bem. -- Ela sorri. -- Agora durmam; amanhã tem aula. -- A mãe dá um beijo em cada uma e sai do quarto, com Jennette e Demi.
-- Mãe, você e papai não vão se separar, né? -- pergunta Jennette.
-- Não, querida -- diz Maria, forçando um sorriso. -- Foi só um desentendimento... Vamos, hora de dormir. -- Ela dá um beijo na testa de cada uma e desce as escadas, quando as meninas entram no quarto e fecham a porta.

3 comentários:

  1. Soraya por que vc não coloca os meninos do Big Time Rush nas suas fics seria bem legal

    ResponderExcluir
  2. Primeiro *-* Soo {posso te chamar de Soo né?} Postaa logo divã, mtmtmt BOM. vou tuitar isso AGORA!

    ResponderExcluir
  3. Mt treeeeee! Ameeei! Parabens Soo(pode ser tbm neh?)

    ResponderExcluir